Autossabotagem | Por medo, desejos e vingança!

Oi oi, pessoalllll! Mais uma vez estamos aqui para compartilhar alguns “insights” sobre o tema que está dando o que falar” nas últimas semanas: AUTOSSABOTAGEM!

E conforme o combinado lááá no primeiro post sobre o conteúdo, hoje concluímos os #7motivos escolhidos para dividir com vocês! (mas só por enquanto tá!). Gratidão Gisele Ventura.

#Motivo Nº05: MEDO DE COMPROMETER O RELACIONAMENTO OU A ESTABILIDADE FAMILIAR

Quando as pessoas mudam ou saem da sua zona de conforto, estas mudanças podem interferir na dinâmica do seu ambiente. (tá bom Cris, você já falou isso, continua…)

Por exemplo: a mulher vai para o mercado de trabalho e sai do papel de dona de casa, precisa contratar pessoas para dar conta da rotina doméstica ou cuidar das crianças, ou mesmo contar com a ajuda de familiares. No entanto, este trabalho pode implicar em viagens ou eventos que talvez não seja do agrado do cônjuge. Ou o restante da família pode julgá-la.

Algumas mudanças podem fazer com que cônjuges ou outros familiares fiquem insatisfeitos, seja por sentirem-se ameaçados, com inveja ou sobrarão mais atividades para eles de modo que perderão certas comodidades.

Assim, Inibida por essas possíveis reações negativas, a pessoa pode retroceder ou fazer com que seu projeto não dê certo por inúmeras razões que só o inconsciente é capaz de criar.

Mas como ela mesma não se dá conta, logo arruma várias explicações e justificativas plausíveis e racionais para tanto.

#Motivo Nº06: DESEJOS CONTRADITÓRIOS

É uma situação muito comum. Algumas vezes desejamos exatamente o oposto daquilo que demonstramos ou lutamos para acontecer.

Seja para atender uma exigência da sociedade, da família, ou para adquirir status e prestígio. (pessoas com baixa autoestima fazem isso, tá! AUTOESTIMA será nossa próxima vertente de trabalho por aqui).

Exemplos: perder o dia da prova de vestibular, ou processo seletivo. Desejo de engravidar, mas sofre abortos naturais sucessivos. Ou fazer uma má apresentação do TCC ou tese de mestrado.

Um executivo pode cometer um erro grave que venha a acarretar prejuízos para a empresa, vir a ser demitido e ficar arrasado.

No entanto, já está há um tempo infeliz e desejando mudar os rumos da sua vida profissional.

Claro que ele não queria prejudicar a empresa tampouco sua carreira, pelo menos de forma consciente.

Em um dos exemplos iniciais, o homem que deixa a joia que seria presente para sua esposa, no capô do carro.

Como estaria este relacionamento? Será que ele realmente desejou dar este presente a esposa? (hummmmmm… INTERESSANTE!)

#Motivo Nº07: VINGANÇA

SIMMMMMM, as pessoas podem sabotar sua realização pessoal, sua saúde, seus projetos para punir ou se vingar de alguém (“G-suisss”, fala maisss CrisKarla…).

Assim, se mantém em uma posição de doente, ou dependente, para que algum familiar banque suas despesas, fique a sua disposição para o que for necessário.

Seja por mágoa, raiva dos pais, cônjuge, ou mesmo dos filhos. Algumas pessoas se colocam nesta posição, prejudicando acima de tudo a si mesmas (sempre, ‘néammm’).

Deste modo, não se libertam e não libertam os outros envolvidos do encargo.

O assunto autossabotagem é muito amplo. A intenção deste texto foi apenas arranhar a superfície de um tema tão rico e fascinante. E ao mesmo tempo trágico e real, muito real. (muuuuito mesmo!)

O referido termo não é de uso científico da psicologia, mas utilizado pelo senso comum.

No entanto, são encontrados na literatura de estudiosos consagrados como Freud, C. G. Jung, Melanie Klein, entre outros, referências claras a situações de autossabotagem, mas com diferentes nomenclaturas.

Talvez você esteja se perguntando nesse momento onde e como a autossabotagem se aplica a você, na sua vida.

Se você percebe que ocorrem situações repetitivas que te prejudicam ou te impedem de alcançar seus objetivos, é bem provável que esteja nesse ciclo.

Sendo assim, para detectar, romper e assim adquirir mais autonomia sobre sua vida, o caminho é um trabalho profundo e paciente de autoconhecimento. (isso mesmo)

Pode causar medo, ansiedade e há possibilidades de surgirem várias resistências e empecilhos pelo caminho para que fique onde está; mas seja mais forte que sua maior desculpa.

Por fim, pelas mesmas razões mencionadas no decorrer dos textos; ao que tange o autoconhecimento, o lema é: “quebre as pontes que atravessar!”.

Oooo genteee! Era isso!! E aí, gostaram? Espero que sim…

Um beijo (e um abraço também, tá)

CrisKarla – Master Coach Integral Sistêmico

[email protected]

www.criskarla.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *